Mas, o que são Smoothies? (e como surgiram?)

03/07/2019
by Luís Magalhães
Smoothies - Gourmet Portugal Shop
A moda dos smoothies despoletou-se a meados da década de 60 dos século XX na California. No calor da praia e ao som dos Beach Boys, surgiu a necessidade de uma bebida nutritiva, refrescante, fiel à fruta e com baixas calorias e gorduras.

Mas o que são afinal Smoothies?

O smoothie é essencialmente uma deliciosa mistura de sumos com frutas, verduras, iogurtes, gelados ou outros ingredientes. O ideal é que todos os ingredientes utilizados estejam a tempraturas bastantes baixas ou até mesmo congelados, já que a bebida deve ter uma consistência algo cremosa.

A Gourmet Portugal Shop, com pareceria com a Prestige Gourmet, disponibiliza agora dois tipos de Smoothies: os Smoothies normais de sabores como Smoothies de Chocolate, de Caramelo, Frutos Vermelhos, entre outos e Smoothies com Iogurte, igualmente com sabores mas com a junção de iogurte e ainda pedaços de fruta.

Smoothies de frutas e iogurte são opções deliciosas e para o pequeno almoço ou lanche da tarde.

Qual é a diferença entre champagne e espumante?

26/06/2019
by Luís Magalhães
copos de champagne

Esta é uma das dúvidas mais comuns entre consumidores e enólogos iniciantes. Sabemos que estas fantásticas bebidas borbulhantes são deliciosas, refrescantes e deixam qualquer festa mais animada. Porém, nem todos sabem quais os principais fatores que diferenciam o champagne do vinho e dos espumantes.

Diferença entre vinho e espumante

O espumante é essencialmente um vinho que passa por uma segunda fermentação, que tanto pode acontecer na própria garrafa como em grandes cubas de aço inox.
A primeira fermentação é comum a todos os tipos de vinhos e transforma o açucar em álcool. A segunda fermentação é a que traz a efervescência à bebida e resulta na espuma e bolhas deste tipo de vinho.
Os espumantes são produzidos em diversos países e através de diferentes processos, como o Champenoise (ou Tradicional), Charmat e Asti.

Diferença entre espumante e champagne

O champagne (´c´ minúsculo) é um vinho espumante produzido na ilustre região francesa de Champagne (´C´ maiúsculo).
Em 1927, Champagne ganhou o título de AOC – Appellation d’Origine Contrôlée (Denominação de Origem Controlada). Isto significa que, apenas os vinhos feitos de uvas – Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay – cultivadas dentro desta região e que cumprem todas as regras e métodos de produção, podem usar o nome champagne.
Se o vinho for produzido com as mesmas uvas e técnica, mas noutra região terá de usar outro nome, como é o caso do Crémant (espumante francês produzido na Alsácia, Borgonha, Bordeaux, entre outras regiões). Todos os outros vinhos que passam por uma segunda fermentação são espumantes.

Que tipos de aguardente existem?

12/06/2019
by Luís Magalhães
A aguardente é uma bebida espirituosa obtida através da condensação dos vapores de álcool. Esses vapores são libertados através do aquecimento de um mosto já fermentado. O ponto de ebulição do álcool é menor que o da água presente no mosto o que faz com que o álcool evapore, levando assim à separação da água e do álcool.

E que tipos de aguardente existem?


Existem três tipos de aguardente. A aguardente vínica, a aguardente bagaceira e o brandy.

Aguardente Vínica

A aguardente vínica é obtida apenas pela destilação de um vinho.
No caso das aguardentes vínicas mais velhas, a madeira é importante para o seu processo de envelhecimento.
Nos primeiros estágios é usada madeira nova, sendo que podem ser usadas barris de Whisky ou de Vinho do Porto. Para os estágios mais tarde de envelhecimento, podem ser usadas barris já usados anteriormente.
Este tipo de aguardente é também utilizada para a produção de Vinho do Porto. Serve para interromper a fermentação alcoólica e preservar alguma da doçura natural da uva (“fortificação”).
Ainda no caso do Vinho do Porto, as aguardentes vínicas usadas devem ser isentas de defeitos, jovens, límpidas, incolor, com um teor alcoólico de pelo menos 77% e não precisam de ser produzidas em Portugal – apenas têm de cumprir padrões qualitativos estabelecidos por lei. 

Aguardente Bagaceira

A aguardente bagaceira é obtida exclusivamente do bagaço de uvas fermentadas e destiladas e tem um teor alcoólico entre os 35% e os 54%.
Em Portugal temos uma das 3 regiões demarcadas no mundo de aguardente: a Lourinhã, sendo as outras duas, Cognac e Armagnac.

Brandy

O Brandy é obtido a partir das aguardentes vínicas. Podem ser adicionadas ou não através de um destilado de vinho a menos de 94,8 % vol., desde que o teor alcoólico do destilado seja igual ou inferior a 50 % do teor alcoólico do produto final. O seu processo de envelhecimento é feito em recipientes de madeira de carvalho durante pelo menos um ano ou, no caso de a capacidade dos barris de carvalho for inferior a 1 000 litros, pelo menos seis meses.

Diferença entre doce, compota, geleia e marmelada.

05/06/2019
by Luís Magalhães

Um método muito usado para a preserva de alimentos é através das conservas. Existem vários tipos de conservas baseadas em açúcar como doce, geleia, marmelada e compota. No Gourmet Portugal Shop temos das melhores geleias, doces e compotas.

Mas quais são as diferenças entre elas?

Doce (fervido de açúcar com pedaços de fruta)
Um doce é um produto açucarado, criado ao ferver o açúcar com um fruto que não se desfaz totalmente, deixando pedaços de fruto no doce. Exemplos conhecidos são o doce de tomate ou de cenoura.

Compota (puré de fruto açucarado)
A compota é outro tipo de conserva, feita com frutos ou vegetais inteiros ou em pedaços, cozidos em açúcar e água ou sumo de fruta. Exemplos conhecidos são compota de maça, abobora ou casca de laranja.

Geleia (sumo de fruto açucarado e gelificado)
A geleia é um tipo especial de conserva. Os frutos são cozidos com bastante líquido, normalmente em sumo de fruta, mas há quem faça também com vinho, água e açúcar.Depois é coado e resulta num gel translúcido quando arrefece. Exemplos conhecidos são geleia de morango, geleia de limão, geleia de laranja ou geleia de framboesa.

Marmelada (puré sólido do marmelo cozido em açúcar)
A marmelada é um puré cozido com açúcar em partes iguais com o fruto. Normalmente tem uma consistência sólida, devido à pectina da marmelada. Para fazer marmelada mais mole basta não cozinhar tanto, tornando-se mais numa compota de marmelo. A marmelada é criada a partir do marmelo e é uma especialidade da doçaria regional portuguesa (marmelada de Odivelas).

Parceria com Prestige Gourmet Shop

29/05/2019
by Luís Magalhães
parceria com Prestige Gourmet Shop

A pensar em si, e nos melhores produtos para si, a Gourmet Portugal Shop celebra agora uma parceria com a Prestige Gourmet Shop.

A Prestige Gourmet surgiu no início deste ano e os seus produtos já os preferidos de muitos consumidores. Apesar do seu pouquíssimo tempo de existência a marca produz produtos de elevadíssima qualidade e a sua vasta gama tem uma solução para todo o tipo de consumidores.

A Gourmet Portugal disponibiliza agora no site todos os produtos Prestige Gourmet:

  • Chás Gourmet frios, em saqueta e em planta.
  • Cappuccinos quentes e frios
  • Cafés de sabores de todo o mundo
  • Chocolates líquidos, quentes e frios
  • Smoothies
  • Granizados
  • Limonadas
  • Sakura Samurai
  • E mais!

Veja aqui a todos os produtos disponíveis.

O Premium Feel está agora disponível para todos os clientes Gourmet Portugal.

5 Curiosidade sobre Jagermeister

22/05/2019
by Luís Magalhães

Uma das bebidas mais vendidas do mundo com 56 ingredientes tem um certo miticismo à sua volta. Conheça 5 curiosidades deste sabor exclusivo. 

 

  1. Durante a Segunda Guerra Mundial, esta bebida ganhou relevância dentro das tropas alemãs devido ao seu uso como anestésico e, devido ao seu alto teor alcoólico, também como desinfetante. A relação com o regime Nazi atingiu o próprio Hermann Göring - considerado sucessor de Hitler - e os altos funcionários do Terceiro Reich.
  2. É um lícor digestivo com 35% de álcool, 56 ingredientes e uma fórmula tão secreta como a da Coca-Cola.
  3. Jagermeister significa mestra de caça
  4. Uma lenda urbana afirma que a sua cor escura contém sangue de veado ou alce. Mas a verdade é que isso é apenas um mito, porque o sangue se decomporia durante o processo de fabricação da bebida, arruinando um lote após o outro.
  5. A história da Jagermeister é baseada na lenda de um antigo caçador, Saint Hubertus, que durante séculos foi o patrono dos caçadores. Segundo a lenda, Saint Hubertus era um caçador selvagem e desenfreado em sua juventude, sem qualquer responsabilidade ou repreensão para com as criaturas que ele caçava ou capturava apenas por uma questão de matar. Um certo dia ele encontrou um grande cervo branco que apareceu da escuridão carregando uma cruz iluminada entre seus chifres. Desde então, São Hubertus converteu-se ao cristianismo e dedicou-se a boas obras sob a bandeira do cervo de chifres. Ele morreu em 727 dC e foi venerado como padroeiro séculos depois. O cervo com a cruz tornou-se o emblema da marca apoiada por ramos de carvalho e pinheiro.
 
 
 

5 tipos de mel e as suas características

15/05/2019
by Luís Magalhães

Que mel é uma delícia ninguém duvida. Mas sabia que existe uma vasta variedade de tipos de mel, cada um com cor, sabor e propriedades únicas?

Mel de Urze
Mel característico das terras altas e montanhosas. É o mel original, com sabor forte, acidulado ligeiramente e de consistência densa. Com um tom muito escuro traz uma ligeira adstringência própria do néctar. Possui ação anti-inflamatória e um elevado teor de polifenós que o tornam no mel mais anti-oxidante.

Mel de Milflores
Mel silvestre, colhido na Região de Beiras. É obtido através duma prática de transumância, beneficiando de diferentes florações, incluindo 4 variedades de Urze, Rosmaninho, Eucalipto, Tojo, Malva-rosa, Tomilho, Alecrim e Borragem. Um mel suave e delicado, com o sabor tipicamente preferido dos consumidores.

Mel de Eucalipto
Este mel corresponde à primeira colheita de cada ano. É proveniente da Beira Litoral e tem origem no néctar das flores de eucalipto. Com um sabor muito agradável, é um mel com uma crescente popularidade junto dos consumidores. Mais aromático que os outros méis, apresenta um tom claro e um aroma mais aberto.

Mel de Rosmaninho
Mel silvestre com origem em floração predominante de rosmaninho. Colhido em zonas isentas de poluição desde a região interior da beira baixa até às terras baixas da beira interior. Com um tom claro e uma elevada concentração de frutose este mel tem um aroma e sabor doce.
Mel de Laranjeira
Com origem no néctar das flores de laranjeira, possui um tom claro uma textura suave. Um aroma e sabor diferenciados de outras variedades, é com frequência distinguido como o mais saboroso dos méis. As suas qualidades tornam-no ideal como adoçante natural para acompanhar pão, frutas, bebidas e cereais.

Azeite e azeite virgem - Qual a diferença?

18/04/2019
by Luís Magalhães

O azeite é o óleo vegetal mais utilizado nas cozinhas de todo o mundo. É a única gordura que pode ser consumida 100% natural - logo após a extração e sem qualquer alteração. Resistente a altas temperaturas e tanto pode ser usado cru, para temperar uma salada, como cozinhado em sopas, bolos e estufados, entre outros pratos.


O azeite é classificado em três categorias: azeite, azeite virgem e azeite virgem extra. A denominação de cada é determinada pela qualidade das azeitonas, os processos a que são sujeitas para obter o azeite, o sabor e o grau de acidez, entre outros factores.

Os azeites virgem extra e virgem são obtidos através de processos mecânicos ou físicos que não modifiquem o azeite. Esses processos englobam apenas os tratamentos de lavagem, decantação, centrifugação e filtração. A diferença entre o azeite virgem e o virgem extra é estabelecida por parâmetros como a acidez, e sabor.


As denominações oficiais e respectivas características estão fixadas por lei:
• o azeite virgem extra é de superior qualidade, possui sabor e cheiro intensos a azeitona sã, acidez igual ou inferior a 0,8% e não apresenta defeitos organolépticos;
• o azeite virgem tem boa qualidade, sabor e cheiro a azeitona sã e acidez igual ou abaixo de 2%;
• o azeite é composto por azeite refinado, enriquecido com azeite virgem, aromático e frutado, com grau de acidez igual ou inferior a 1 por cento.

Tipos de Vinho do Porto

10/04/2019
by Luís Magalhães

É sabido que o Vinho do Porto é diferente dos outros vinhos comuns. Tem uma enorme diversidade de tipos vinho que nos surpreendem com a riqueza e intensidade dos seus aromas, um teor alcoólico elevado (geralmente compreendido entre os 19 e os 22% vol.) e uma vasta gama de doçuras e grande diversidade de cores.


Existe também um conjunto de designações que possibilitam a identificação dos diferentes tipos de Vinho do Porto:

Vintage
O vintage é um vinho de excelente qualidade e proveniente de uma única colheita. Considerado o melhor vinho dos vinhos do Porto, a sua produção total representa apenas uma pequena percentagem da produção total de Vinho do Porto
É engarrafado entre 1 de julho do segundo ano e 31 de dezembro do terceiro ano após a vindima. Pode ser consumido de imediato, no entanto também é costume ser guardado em caves de envelhecimento durante um período que pode durar até 40 anos.
Vinho encorpado de cor carregada, mas é suavizado pelo envelhecimento da garrafa.

Ruby
A sua cor assemelha-se à cor da pedra preciosa rubi, resultante de um processo de envelhecimento com pouca ou nenhuma oxidação, normalmente até 3 anos em barris de madeira.
Vinho de sabor forte, encorpado e rico em aromas de frutos vermelhos.

Tawny
Vinho obtido a partir de lotações de vinhos, com uma idade média de três anos e envelhecidos em cascos de madeira avinhada. Não apresentam as características do envelhecimento em carvalho. Durante o processo de envelhecimento a oxidação é reforçada para conferir a tonalidade dourada do vinho.

Indicação de idade
Vinho do Porto de boa de qualidade e com permissão de utilização da designação de idade. As indicações de idade são: 10 anos de idade, 20 anos de idade, 30 anos de idade e mais 40 anos de idade. Este Porto é um Ttawny conseguido por lotação de vinhos de várias colheitas de modo a agrupar diferentes características de cor, aroma e sabor. O período de amadurecimento em madeira é variável e a idade do vinho resulta da média aproximada de idades dos diversos vinhos que compõem o lote (mistura de duas ou mais castas) utilizado.

Colheita
Porto Tawny de qualidade selecionada e de apenas uma colheita. Antes de ser engarrafado, passa por um estágio em madeira de pelo menos sete anos. Embora o Tawny não seja um vinho de lote, é sujeito a transfegas e atestos durante o seu processo de maturação. Durante o seu envelhecimento, os aromas jovens e frutados oxidam e transformam-se num conjunto de aromas onde se destacam os frutos secos, madeira e especiarias.

L.B.V. (Late Bottled Vintage)
Vinho do Porto de qualidade e aptidão para o envelhecimento. Apresenta uma data de colheita e é obtido a partir de um lote de vinhos dessa colheita. O seu envelhecimento decorre em grandes balseiros, barris de carvalho para que a oxidação seja um processo lento. O L.B.V é engarrafado entre o dia 31 de julho do quarto ano e o dia 31 de dezembro do sexto ano após a colheita.

Branco
A qualidade do Vinho do Porto Branco varia de acordo com o grau de doçura e período de envelhecimento. Os vinhos do Porto mais jovens são indicados para consumir como aperitivo, já aqueles que passam por um período de envelhecimento mais longo acabam por ter um sabor mais intenso e sendo por isso o seu consumo ideal após as refeições.

Wine O'Clock - What is the best time to drink wine?

03/04/2019
by Luís Magalhães
The expression "wine o'clock" is featured in the Oxford dictionary since 2015 and defines the phrase as ‘an appropriate time of day for starting to drink wine’. But, it doesn't really specify the time...

So what time is the most appropriate time to drink wine?

Food historian Dr Annie Gray states that the most popular time to drink wine has changed according to the set eating times.

‘It was only wine o'clock if you could afford it, and then it depended on the era. The Tudors ate their main meal at 10 am, the Stuarts at 2 pm and the Victorians at 8 pm (...) Historically, therefore, wine o’clock is whenever you want it to be!’

Jane Anson, a contributing editor at Decanter magazine, says that wine o’clock varies depending on the circumstance, but the primary focus is drinking wine with food.

According to Joe Fattorini, host of The Wine Show, wine o’clock has no correlation with mealtimes and is when your mouth is drier and not obscured by the lingering taste of food.

'11 am to one pm is the optimum time to actually drink wine because your mouth is drier (...) The saliva that builds up in your mouth throughout the day can dramatically change the taste of wine. It doesn’t make it taste worse, just different.’

As you can see there isn't a universal optimal time to drink wine, so as long as you're buying wine in Gourmet Portugal, you can drink wine whenever you want.

Comments

No posts found

Write a review